Uma nova casa cheia de histórias e belezas: Swiss Jet d’eau

Um ar regado da brisa gelada das montanhas, Genebra é um pedacinho do céu

2016 foi um ano intenso e muito exigente para mim. Após finalizar uma graduação qualquer profissional quer dar seu sangue por um bom trabalho e uma qualificação no mercado. Mas o que geralmente se esquecem é da saúde. Por sermos tão novos cremos que somos protegidos por uma armadura forte, mas é aí que se enganamos até o “primeiro tombo”, literalmente. Após a minha recuperação, que uni mais do que nunca a minha fé e a vontade de viver, pude ao mesmo tempo que recebi muitas portas fechadas, pude ver o propósito de viver o que Deus sempre guardou em meu coração: a mudança de país.

Para que qualquer pessoa possa ir a diante e para as coisas começam a ser arquitetadas dentro do seu íntimo e fortalecido com seu lado espiritual, se leva tempo. Fugindo dos meus materiais de moda que sempre apresento, falar do Edu, as vezes é difícil, mas oportuno para poder mostrar um pouco mais do que o mundo a fora tem para oferecer.

Ver pela primeira vez o Jet d’eau, famoso ponto de parada a 120 anos em Genebra na Suíça, me fez suspirar diante dos 140 metros de altura sendo jorrado água há uma velocidade de saída de 200 km/h, escoando 500 litros de água por segundo.