Trends do SPFW: confira as propostas que rolou na última semana do maior evento de moda da América Latina

Veja o que rolou de tendências masculinas no São Paulo Fashion Week

Os homens ganharam força na temporada de verão 2016/17 do São Paulo Fashion Week. Ainda que em menor número no line-up, as coleções masculinas evoluíram em atenção e relevância no evento que terminou no dia 29/05. Basta dizer que as estreias mais aguardadas por mídia e público durante a semana eram de linhas para eles. No total, onze grifes botaram os rapazes para dar seus passos na passarela, seja em desfiles mistos ou exclusivamente masculinos.

Rafael Varandas

A primeira experiência da Cotton Project e de Murilo Lomas na disputada passarela do SPFW foi assunto quente e causou certo frenesi. Justificado. Esperto, Rafael Varandas não inventou e fez dos básicos cool que já são sucesso na Cotton o seu repertório de verão. Jaquetas bomber, camisas e camisetas folgas, assim como ótimas calças de alfaiataria relax deram o tem da sua apresentação. Bola dentro entre a turma jovem, seja ela composta de meninos ou meninas, já que a pegada aqui é unissex.

Murilo Lomas

Já Murilo mostrou maturidade e nível elevado de acabamento surpreendente para uma marca que nasceu há menos de dois anos. Seu repertório de peças feitas para curtir a praia nos balneários mais elegantes do planeta trouxe ótimas calças de linho, moletons deluxe, camisa de estampas étnicas e uma interessante família de couro fininho em cartela suave.

Alexandre Herchcovitch

Repleta de itens poderosos e desejáveis, a porção masculina da primeira coleção desenvolvida para o antiquário – e agora marca de moda – do parceiro de Alexandre, Fabio Souza, é promissora. O mixo de vintage e novidade teve como destaques as jaquetas biker de couro e as parcas militares pintadas à mão. Entre as referências mostras por Alexandre, clássicos do universo street e dos homens, como o navy, rock e o utilitarismo.

Ratier                             

Em sua segunda participação no SPFW, a Ratier vai além da balada e do universo dark-conceitual da estreai e dá passo consistente rumo a um streetwear minimalista para fazer sucesso também à luz do dia. Linhas simples e alongadas, com interferências geométrica, conduziram o desfile, no qual o destaque vai para as ótimas calças e bermudas.

Uma, João Pimenta e Vitorino Campos

Outra adepta do menos é mais, a Uma também mandou bem nas calças confortáveis, mais curtas e com detalhes esportivos.

Entre os craques mais rodados no masculino, João Pimenta desdobrou o uniforme militar em coleção viril e delicada ao mesmo tempo. Ele segue questionando a fronteira entre gêneros enquanto explora o lado rústico do homem em tramas e texturas.

Vitorino Campos amplia seu repertório masculino e Page o bonde da estética normcore e sem gênero da turma mais cool de Paris. Jeans delavês e de linhas amplas servem de base para produções minimalistas, simples, completadas por camisetas brancas, blusas de gola alta e maxitricôs.

Osklen

A Osklen apostou em uma apresentação sem modelos para lançar mão de conjuntos de seda overprinted para seus homens de alma surfista e global. O resultado é sofisticado e efusivo. E a Ellus também fez do surfe o seu ponto de partida para desenvolver um Havaí urbano em que brilham camisas e shorts estampados, para usar junto à jaqueta perfecto que a grife tanto gosta.

 

Entre erros e acertos da temporada masculina, fica a constatação de que a moda apresentada é essencialmente jovem e casual, relaxada, para momentos de lazer, férias ou fim de semana. Se você é um homem com mais de 30 anos, que trabalha em ambientes criativos ou corporativos, dificilmente encontrará boas alternativas nas passarelas brasileiras.