Sexo oral faz bem ao casal?

Veja as vantagens de se fazer sexo oral, além de dicas de como fazê-lo

Sexo oral pode dar prazer e satisfação assim como o sexo? Fazer sexo oral é uma ótima opção para dar e ver o prazer do outro até o orgasmo. A prática – quando bem feita, desde que o outro seja cuidadoso e não machuque, claro – também é capaz de proporcionar muitos benefícios à saúde do homem e à da mulher. Quem o recebe só tem a agradecer.

Faz bem ao casal?

Em uma pesquisa da State University of New York, que monitorou 150 casais, metade dos quais foram orientados a se concentrar fortemente em sexo oral em seu relacionamento, e a outra não tanto. O estudo revelou uma diferença notável na forma como os dois grupos dormiram.

Os 75 casais que se concentraram mais em sexo oral mostrou melhor qualidade de sono, níveis de ansiedade e estresse baixos e aumentando a intimidade, dentro e fora do quarto, com seus parceiros.

Fazer ou receber sexo oral ajuda a produzir hormônios como a Oxitocina e Dehidroepiandrosterona (DHEA), que têm efeitos protetores contra o câncer, doenças cardíacas. Algumas pessoas usam suplementos de DHEA para melhorar o desejo sexual, construir músculos, combater os efeitos do envelhecimento.

É bom para eles?

Uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional do câncer, dos Estados Unidos, mostrou que ter em média 21 ejaculações mensais reduz em até 33% o risco de Câncer de Próstata em relação a homens que ejaculavam sete vezes por mês.

Somando a isso, existe uma estatística que 25% dos homens vai ou já sofreu com ejaculação precoce em algum momento de suas vidas. Por isso, psicólogos e terapeutas sexuais recomendam esse método alternativo para prolongar a experiência para ambos.

É bom para elas?

Em outro estudo feito pela State University of New York, os pesquisadores fizeram uma comparação entre a vida sexual e saúde mental de 293 mulheres. E concluíram que sexo oral é bom para saúde das mulheres e as deixa mais felizes.

Chegaram a essa conclusão depois de analisar a composição do esperma, cujo contém cortisol, que nas medidas certas, é uma substância que aumenta o sentimento de afeição e regula o sistema nervoso. O Estrogênio e Oxitocina (age na estimulação da contração uterina no parto e memória de experiências prazerosas) também foram detectados, melhoram humor.

A famosa Serotonina, outra substância produzida pelo corpo, e que é o neurotransmissor e antidepressivo mais conhecido, também está no sêmen. Este possui melatonina, responsável por aquele soninho após o sexo.

Como fazer neles?

A região mais sensível do pênis é a glande, a ponta superior do membro. Qualquer estímulo delicado feito nessa região vai fazer o homem ter prazer. Combinar o uso das mãos com a boca nessa região também traz um bom resultado.

A pressão e a velocidade dos movimentos também são importantes. Muito lento não estimula o suficiente, muito rápido pode gerar excesso de estímulo, o que também não é bom e pode acabar machucando. O ideal é encontrar um meio termo e manter o ritmo. Esse ponto pode ser encontrado por observação. À medida que for fazendo os movimentos com a boca, preste atenção na reação do seu parceiro. Elas indicarão se você está no caminho certo.

Explorar outras regiões também pode ser um estimulante para o homem. Massagear os testículos com as mãos enquanto estimula o pênis com a boca ou até mesmo acariciá-los com a língua e lábios pode gerar muito prazer. A virilha e o períneo também são zonas erógenas para os homens. Contudo, sempre observando se o parceiro fica à vontade com estímulos e carícias nessas regiões.

Como fazer nelas?

Quando uma mulher ainda não está excitada, o clitóris fica “adormecido”. Tocá-lo ou friccioná-lo assim vai gerar desconforto. Assim que ela começa a ganhar excitação, o clitóris reage e fica sensível aos estímulos. Ou seja, é cereja do bolo, por isso jamais comece por ele. Dê longos beijos na boca, beije seu corpo, excite-a. Nunca subestime as variadas zonas erógenas femininas.

Depois de longos beijos, vá com sua mão por dentro da calcinha como que não quer nada, e verifique se ela já começa a demonstrar sinais de lubrificação. Caso percebeu que já está molhada só com as pegadas iniciais, agora é a hora esperada. Vá dando beijos e lambidas nas coxas, na virilha, até chegar nos grandes lábios (os externos). Passe a língua por dentro e por fora deles, sem tocar no clitóris, até que a sua parceira comece a se contorcer e soltar os primeiros gemidos de prazer.

Esse é o sinal para o próximo passo: passa para os pequenos lábios (na parte interna). Faça movimentos para cima e para baixo, por enquanto suaves, alterne com movimentos laterais. Brinque como quiser até perceber que ela quer mais.

Por mais que você possa não saber, mas aquilo que estará na ponta do clitóris é um órgão muito maior que se estende bastante por dentro do corpo da mulher. Por isso, quando ela estiver bastante excitada, passe a língua no clitóris como se tentasse tirá-lo delicadamente do capuz que o protege. É uma sensação muito prazerosa, mas que exige muita delicadeza. Vá com jeitinho e vê se ela gosta.

Aqui, espera-se que a mulher já esteja bastante excitada, o que significa que você deve aumentar a velocidade e pressão. A melhor forma de saber se ela está gostando é através da observação (assim como no homem). Um bom sexo oral é aquele a qual quem está comandando brilha na performance justamente porque é um bom observador. Teste uma variação de movimentos e percebe se ela adora um deles, permaneça por um tempo com certa pressão. Vá fazendo isso com diversos tipos de movimentos. Sem pressa, vá fazendo com que ela não consiga mais resistir e finalmente chegue ao orgasmo na sua boca. Isso pode levar um tempo e exige dedicação, mas o resultado vale à pena.

 

Agora bem informado(a), pratique e busque mais sobre o prazer da sua parceria. A intimidade entre vocês aumentará, além de trazer inúmeros benefícios para vida sexual de ambos.