Sexo anal masculino: entenda como se dá esse prazer

Veja se os homens sentem prazer ou não com essa prática sexual

Sexo anal masculino? Muitos homens possuem essa curiosidade em saber como é feita essa relação. Curiosidade que se trata de uma zona sexual importante: o ponto G. É possível, então, que haja prazer?

Em teste, somente pelo simples toque, é possível trazer ao homem uma excitação desconhecida por ele. E quando há a penetração, determina a estimulação prazerosa da próstata que pode, por si, provocar a ejaculação.

Os relacionamentos, muitas vezes, possuem data de validade. A maioria dos casais descobre isso depois de algumas semanas, meses ou anos. O brilho vai se apagando e a fúria carnal que os uniu se dissipa. As pessoas estranhas que conseguem atravessar esse muro de tijolos sexual fazem isso desenvolvendo uma série de confrontos.

É preciso pensar sobre isso de forma livre, de modo que a excitação não seja confundida com homossexualidade. Se for uma mulher a estimular a região anal e se ela introduzir algum objeto sexual no homem, o prazer será sentido de forma idêntica e não haverá outro homem envolvido (nem mesmo na imaginação). A excitação “pertence” àquele homem e não depende de quem a provoca.

Contudo, as repressões sociais reforçam estas proibições e as famílias continuam a educar seus filhos no sentindo de se comportarem como “machos” – ou “machões”. Em nossa cultura, a maior parte dos homens mal encosta na região anal e não permite que as parceiras os estimule por esta via.

Por isso, esta prática, chamada sodomia, se dá pelo prazer real na conquista, mas especificamente na entrega. Sexo anal é o mais consensual de todos. O homem precisa ter confiança plena para se doar a sua parceira e relaxar o suficiente para permitir a penetração. É um ato louco de amor, tesão, divido não igualmente em duas partes.

O homem, assim como a mulher, possui desejos sexuais e pontos de excitação. Quando o casal se ama e não gosta de velhos repertórios, é o momento perfeito para descobrir ainda mais sobre a intimidade de cada um.