Quais profissões demandam mais atenção na hora de se vestir?

Veja quais são as profissões que precisamos se ater na hora de se vestir

Para se vestir bem, não é necessário ter um guarda-roupa repleto de peças diferentes. A maneira como a pessoa se veste pode ser uma pista para saber se ela se respeita, se é desleixada, se tem disciplina, é social ou introvertida, dinâmica, moderna, clássica ou até um narcisista de plantão.

Em um guarda-roupa de trabalho tem que ser feito para não perder tempo. O principal elemento para não errar no visual é conhecer a empresa onde trabalha, quer trabalhar ou fará uma reunião importante. A maioria das empresas, porém, torcem o nariz para jeans, camiseta e tênis. Contudo, há lugares que estas peças serão mais aceitas e adeptas.

Executivos

Com traje completo composto por terno e gravata, os executivos não podem abandonar esse look durante toda a semana. No máximo mudar as cores sempre neutras, como preto, azul marinho, e cinza.

Os jovens, mesmo não podendo fugir do traje, também ganham alternativas. A principal delas é a modelagem do terno em slim que se ajusta mais a cintura dando um visual mais moderno. O que também serve para a camisa de baixo.

Nem todo ambiente de trabalho pede paletó, mas nesses casos é melhor deixar de lado apenas esta peça, as outras continue usando, é imprescindível.

As roupas são unanimidades, não dá para dispensar o uso do terno completo. Mesmo informal, o calçado e a camisa devem estar no formal. Visto que o acabamento é tão importante quanto a produção. Tamanho certo, caimento perfeito e alinhamento impecável são itens importantíssimos.

Médicos

Engana-se quem pensa que o jaleco usado pelos médicos (e outros profissionais da saúde) é justificativa para não pensar com mais cuidado nas roupas de trabalho.

Nada de peças estruturadas, pregas ou babados. Roupas em malha, algodão sem elastano são roupas que caem “naturalmente” e, com isso, não causam um volume para o jaleco. Sendo que as cores devem ser neutras.

É importante modelar o guarda-roupa de acordo com o público que atente. Se o trabalho envolve classes baixas, vale looks mais informais – sob o jaleco. Para outros níveis, roupas mais formais.

No primeiro caso, a combinação de calças de algodão com corte de alfaiataria, camisas de manga longa ou camiseta de gola polo e sapato de couro é uma boa pedida. No segundo caso, calça de lã, camisa social e gravata.

Jornalistas, publicitários e profissionais de TI

Trabalhar em ambientes mais informais garante mais flexibilidade no guarda-roupa, mas isso não deve ser justificativa para ir trabalhar de pijama ou com a roupa da balada da noite anterior. Mesmo sendo informal, tem que passar credibilidade.

Calça em algodão (como jeans e sarja) com um corte em alfaiataria e cor escura é bem-vinda. Camisas esportivas de manga longa (que podem ser dobradas nos dias mais quentes), camisa de gola polo e de gola careca são perfeitas.

Deixe de lado seu tênis de academia e camisetas de futebol – deixe para usar nos ambientes determinados. Além do cuidado com camisetas com estampas “engraçadinhas”. A brincadeira pode estar mal escrita ou pode ser ofensiva.

Advogados

O “dress code” pode variar de acordo com o porte do escritório. Nos de pequeno e médio porte, os advogados podem usar trajes mais informais nos dias que não tiver que ir ao fórum. Nos dias de audiência e outros compromissos relacionados, mais formais, a regra é apostar em vestimentas mais conservadoras.

Nos de grande porte, não dá para escapar: paletó e gravata.