Meu filho quer viajar sozinho, devo deixar ou não?

Veja se é uma boa opção deixar seu filho viajar sozinho

As férias de final de ano já começaram. E é nesta época que as pessoas viajam mais. Porém, reunir toda a família para um passeio longo pode ser muito difícil. Todos têm compromissos e, geralmente, pai e mãe trabalham. Quando a criança é um pouco mais velha, escolher o destino tende a ser uma tarefa ainda mais complicada. É neste momento que elas decidem demonstrar o desejo de viajar com a companhia dos amigos ou, até mesmo, sozinho.

Quando o adolescente começa a demonstrar essa vontade, é hora dos pais analisarem se ele está preparado e, se sim, liberarem a viagem, para que o jovem comece a exercer sua autonomia, uma grande etapa para seu desenvolvimento.

Além de toda a diversão e curtição com os amigos, também é o momento para ele tomar decisões sozinho e perceber as consequências de seus atos – sendo que esta etapa já começa desde a preparação para a viagem. Isso porque é preciso avaliar, ainda, a responsabilidade e maturidade emocional do adolescente. Se sente confiança nele e percebe que é responsável e tem desenvoltura para se virar, então não tem motivo para não autorizá-lo a viajar. Todavia, caso seu filho seja imaturo, apronta algumas, faz coisas escondido e é muito influenciável, melhor esperar outra oportunidade. Um “não” para uma criança soa diferente que para um adolescente. Ele precisa entender os motivos reais – justificativas – para não ter permissão.

Em relação ao destino, o jovem quem deverá escolher, mas os pais sempre devem opinar e dar dicas. Conforme os filhos vão crescendo, os destinos escolhidos começam a variar. Optar por agências de turismo nessas horas é bom, pois facilita a organizar a viagem e ainda permite a presença dos adultos. Além de organizar o que ele fará nessa viagem: programações, passeios, local de pouso, etc.

Outra preocupação são as leis impostas para viagem de menores (caso seu filho ainda não tenha completado 18 anos). Os responsáveis legítimos (os pais) precisam assinar uma autorização para a viagem que o adolescente fará, visto que seu filho será responsável por si mesmo.

Com tudo preparado, é hora de deixar seu “passarinho bater as asas e voar”. Combine com ele antes da viagem como será a comunicação. Por mais que a ansiedade seja forte, ligue apenas nos horários definidos, e caso ele não atenda, fique tranquilo, seu filho poderá estar em algum passeio ou ter se atrasado.

Confiante que seu filho é responsável e maduro, a viagem será um sucesso. Além de ajudá-lo a crescer, ficará na memória dele como um os grandes momentos de sua adolescência.