Masturbação feminina

Como acariciar a parceira em momentos especiais?

Levar uma garota ao clímax nem sempre é tarefa fácil. Muitas desconhecem os próprios mecanismos que ativam seu sexo. Devido ao pudor e a repressão sexual, fazem com que elas travem diante de suas volições, impedindo-as de aprender como seu corpo funciona e desfrutar dos seus prazeres. Até porque, sexualidade é um aprendizado intensivo do indivíduo consigo mesmo. Quem não for autodidata, acaba ficando para trás.

Dessa forma, é necessária certa delicadeza na hora de estimular uma vagina – mesmo quando a mulher permite mais brutalidade. É uma região hiper sensível, que não funciona sob pressão. Porém, impulsionada com jeito, reage maravilhosamente bem a movimentos persistentes e gradativos.

Além disso, saber que o tempo para alcançar o orgasmo feminino é diferente do nosso (homens) e, por isso a importância das preliminares é fundamental. Devido a isso, nós separamos dicas para você fazer sua parceira chegar lá, confira:

Pode perguntar

A conversa entre os dois durante a relação é fundamental para conhecer e entender os gostos do parceiro. Pergunte-lhe, com sussurros ao ouvido, o que ela quer fazer, faça com que ela entenda que você está disposto a agradá-la a todos os níveis. Dessa forma ela lhe dará dicas e se sentirá confortável para estabelecer os limites entre o que é bom e o que ela não curte.

Brinque com o imaginário erótico

Seja com uma pegada mais forte, puxada de cabelo, estímulos visuais ou palavras sujas, você deve incitar o imaginário erótico dela. O prazer sexual é despertado no cérebro, dessa forma, deixar seus desejos à flor-da-pele é a base para a excitação. Invoque suas fantasias para fazer fluir seus desejos e provocar suas vontades.

Não vá direto ao ponto

Faça suas mãos e boca conhecerem o corpo dela primeiro, percorra pela parte interna de suas coxas, virilha e base do abdômen. Encoste e roce suas genitais antes mesmo de tirar a calcinha. Comprima os grandes lábios, apertando um contra o outro, repetidas vezes. Acaricie seus seios, excitando de todas as maneiras – mãos, boca, dentes.

Lubrifique os dedos

O atrito contra uma superfície áspera irrita a mucosa e pode machucar. Tenha suavidade no toque. Use a parte macia da digital ao encostar no clitóris. Evite arranhar com as unhas.

Faça com que ela abra bem as pernas. Molhe seu dedo em saliva – pode ser sua ou dela própria. Inicie em ritmo lento, tocando diretamente sobre o clitóris, sem apertar. Aos poucos, acelere os movimentos do dedo. Friccione de um lado para o outro, sempre com movimentos curtinhos e concentrados em um ponto específico, sobre a saliência.

Tente interromper o mínimo possível. Ao sentir que seu dedo está secando, leve-o até mais embaixo e utilize a lubrificação natural da parceira para umedecer ainda mais o clitóris. Diferente do pênis, onde um movimento repetitivo é suficiente para levar ao orgasmo, a vagina requer variação e ritmos diferentes.

Estimule a parte interna e externa do clitóris

A pequena protuberância localizada no encontro dos pequenos lábios é apenas a parte visível do clitóris. Com milhares de terminações nervosas, o órgão – único que existe com o propósito exclusivo de proporcionar prazer – estende-se por dentro do corpo feminino, envolvendo o canal vaginal. Da mesma forma que o pênis, o clitóris também infla quando estimulado. Torna-se mais saliente na parte externa e assim comprime a vagina, internamente.

O Ponto G, portanto, nada mais é do que a região de contato com o clitóris interno. É sentida como uma fenda de textura esponjosa na parede de cima do canal da vulva. Por isso a combinação de estimulação clitoriana e penetração provocam orgasmos ainda mais intensos.

Coloque os dedos

Sem parar de tocar a parte visível pelo lado de fora, enfie um ou dois dedos da outra mão lá dentro e faça sinal de “vem cá” para alcançar o Ponto G. Tenha sensibilidade e perceba o toque. Evite agitar o dedo muito rápido, como uma britadeira, ou tirar e colocar freneticamente – isso não é gostoso. Mantenha sempre a suavidade.

Observe-a atentamente

Note com cautela a evolução do prazer dela de acordo com suas expressões – gestos, sons, reações fisiológicas. Se os gemidos intensificarem, insista no que está fazendo. Caso os suspiros cessem, mude o toque, tente outra forma. E mais uma vez: converse, pergunte se está gostoso.

Nunca cobre orgasmo de uma mulher. Isso pode fazê-la travar ou gerar ansiedade, tensão e prejudicar o prazer. Em vez de perguntar se ela vai gozar, é melhor questionar apenas se quer que você continue.

Persista

Se, ao olhar pra ela, notar que ela está reagindo positivamente aos seus atos, não pare e nem interrompa. Prossiga sempre. Insista e tenha paciência, como já dissemos, o tempo dela é diferente do seu. É comprovado que homens costumam chegar ao orgasmo antes das mulheres.

Pressa e ansiedade são inimigas do sexo e podem colocar tudo a perder. Dessa forma, dedique-se ao que está fazendo e prolongue ao máximo esse momento.

Estimule tudo

Imagine o corpo dela inteiro como um grande órgão sexual. As mulheres possuem zonas erógenas espalhadas por diversas partes e curvas do seu corpo. Na nuca, nas orelhas, na boca, nos seios. Lugares que, quando tocados, causam excitação imediata. Não se limite apenas à vagina. Respire forte em seu ouvido, assopre seu pescoço, encoste seus lábios pelo corpo e beija-a em todos os cantos.

Quando ela já estiver demonstrando espasmos, abocanhe um de seus mamilos. No momento em que ela estiver quase lá, estimule-a onde ela permitir e sussurre elogios ao seu ouvido. Com isso ela ficará mais segura e confiante.

Bônus: assista

Se a intimidade entre o casal permitir com que ela se sinta 100% confortável com seu corpo, peça – com jeito – para que ela se masturbe e assista. A cena de uma mulher brincando com seu corpo é maravilhosa de se ver.

Para conhecer mais sobre como ela sente prazer, assista-a se tocar sozinha. Cada uma tem um jeitinho todo se e suas preferências. Peça para ela te mostrar como faz e observe. Incentive-a para que ela realize o trabalho sozinha, enquanto você estimule outras partes de seu corpo. Mais uma vez não cobre nada, deixe que ela fique à vontade para fazer o que achar melhor.