Como usar suéter junto da alfaiataria?

Aprenda como quebrar a sobriedade de um traje clássico

Deixa eu começar esse material sobre uma info que coletei das minhas leituras clássicas da moda, que fala sobre o início do uso das camisas. Você sabia que elas começaram sendo vestidas como roupa intima para dormir? SIM! Isso mesmo. Antigamente, por volta dos anos de 1870, um homem nobre era aquele que vestia uma peça limpa todos os dias para se deitar a cama. As camisas eram dadas como presente de prestigio em casamento, mas, detalhe, as de seda ou linho, e mais um lembrete, as brancas!

Mas fugindo desse enredo histórico, que eu adoro ler sobre, meu objetivo é mostrar essa proposta de traje hiper chic com uma pegada urban da Dimazzo Maison. Eu apostei em unir a camisa, a calça de sarja, o suéter e a gravata borboleta, tudo num mesmo combo para poder dar um efeito bem misterioso e aguçar o lado sexy, já que as peças são bem alinhadas ao corpo.

Outro item que vale o destaque, que já citei, é que na Dimazzo tem muita opção de suéter, várias cores, modelos e marcas que vale a visita na loja para quem procura um bem style pra se aquecer! E aproveitando que estou falando disso, o suéter é uma peça da época do reinado de Elizabeth I, e é ainda até hoje uma peça produzida por comunidades próxima ao litoral, com detalhes e traços marítimos. E homens, o suéter nunca pode ficar folgado no corpo, ele sempre deve estar justo, pois é tradição dos fabricantes isso, pois aquece mais.

E a gravata borboleta? Poucos machos usam, mas deve ter pelo menos uma no guarda-roupa, porque além de charmosa é essencial para compor look formais. Calça de sarja preta é casual + bota estilo sapato Oxford é urban. PEÇAS LINDAS PODE SER SUA TAMBÉM!

Onde usar:

– para trabalhar

– para entrevista de emprego

– para sair com empresários

– para reuniões em cafés

– para estar sempre gato e misterioso

Caso você queira mais modelos de trajes parecidos, que tal dar uma passada na Dimazzo Maison de Toledo e Cascavel?

Confira como chegar:

– Toledo, R. Santos Dumont, 1873 – Centro

– Cascavel, R. Paraná, 2821 – Centro.