Como identificar sinais de depressão no seu filho adolescente?

Se você for pai ou mãe, veja os sinais que alertam se seu filho está com depressão

A adolescência é um período complicado, sobretudo em fases de maior afirmação da personalidade, um processo que atende a gerar reações nem sempre fáceis de lidar e compreender.

Seu filho está passando por uma fase complicada que reflete no modo como ele se relaciona na escola, em família e até mesmo o estar dele? Preste atenção no comportamento dele, procurando avaliá-lo. Por consequência disso, especialistas esclarecem que é preciso considerar a intensidade e a frequência desses sinais e analisá-los em um contexto mais amplo, avaliando o estado geral do adolescente. Contudo, há sintomas que, se forem prolongados, podem indicar uma depressão adolescente, que deve ser acompanhado por um profissional.

Humor depressivo

O adolescente parece não sentir alegria ou prazer de viver. Mostra-se melancólico, entediado, indisposto e sem esperança. Tendo baixa autoestima e podendo apresentar crises de choro sem razão aparente.

Apatia

Às vezes, pode ser confundida com preguiça. Porém, o adolescente demonstra falta de energia, cansaço frequente e perda de interesse por atividades que antes eram prazerosas.

Irritabilidade e instabilidade

Mau humor, descontrole emocional e explosões de raiva.

Isolamento social

Os adolescentes deprimidos tentem a se isolar de amigos e familiares.

Alteração do apetite

Perder a vontade de comer é o mais frequente, mas pode haver, também, o aumento de apetite, sobretudo alimentos doces. Perda ou ganho de peso significativo em pouco tempo podem estar associados.

Alteração do ritmo de sono

O adolescente pode dormir mais ou menos do que de costume. Quadros de insônia também são comuns.

Dificuldade de concentração

Frequentemente está associada à queda de rendimento escolar. Em alguns casos, o jovem depressivo abandona os estudos.

Consumo de drogas

Muitas vezes, o adolescente utiliza de automedicações para alívio do sofrimento causado pela doença. Entretanto, vai muito além, o consumo de drogas lícitas (bebida e cigarro) e ilícitas também fazem parte dos sintomas.

Automutilação

Em situações de extremo sofrimento, alguns adolescentes podem adotar um comportamento autodestrutivo, cortando-se ou queimando-se. Provocar dor física é uma forma de tirar o foco da dor emocional.

Comportamento de risco

A fixação com o perigo ser uma forma de combater a apatia. Andar distraidamente no meio de avenidas movimentadas, praticar esportes radicais sem equipamentos de segurança ou mesmo fazer sexo sem proteção são formas de buscar emoções fortes.

Pensamentos suicidas

São comuns pensamentos mórbidos e tentativas de suicídio.

O tratamento da depressão na adolescência é, em geral, multidisciplinar. Nem todos os casos requerem medicação, mas é fundamental o envolvimento dos familiares.

Segundo o psiquiatra Miguel Angelo Borati, os conflitos em família, as cobranças por desempenho em múltiplas tarefas e a falta de diálogo em casa podem ser gatilhos que desencadeiam a depressão nos adolescentes.

Por isso, converse com seu filho, tente criar um diálogo com ele, mas respeitando seu espaço. Ele tem consciência do sofrimento que está passando, querendo ajuda mesmo que algo diga o contrário. Mostre seu afeto, amor e importância por ele, com toda certeza são atos que ele mais sente falta.