Como evitar a ejaculação precoce?

Causas, sintomas e prevenção

A ejaculação precoce, ou ejacular antes que você ou seu parceiro queira é um problema comum que atinge a maioria dos homens em algum momento de suas vida. Vários fatores podem influenciar a ejaculação precoce, quando ocorre, mas pode ser controlada com aconselhamento psicológico, em casos extremos, a intervenção médica com prescrições de medicamentos.

Se for o seu caso, não se preocupe: ejaculação precoce é um problema relativamente comum. Estimativas mostram que um em cada três homens apresenta essa condição

Causas

A causa exata da ejaculação precoce ainda é desconhecida, mas os médicos acreditam que fatores psicológicos e biológicos estejam envolvidos nos motivos que levam à ocorrência desse problema

Alguns fatores psicológicos que parecem estar envolvidos na ejaculação precoce são:

– disfunção erétil

– ansiedade

– problemas de relacionamento

– o uso de alguns medicamentos, como psicotrópicos, pode causar ejaculação precoce.

Já os fatores biológicos que podem ser relacionados ao problema são:

– níveis hormonais acima do normal

– níveis de neurotransmissores acima do normal

– atividade anormal do sistema ejaculatório

– distúrbios da tireoide

– inflamação ou infecção na próstata e na uretra

– fatores genéticos

– danos no sistema nervoso causados por experiências traumáticas ou cirurgias

Sintomas de ejaculação precoce

O primeiro sintoma de ejaculação precoce é quando a ejaculação acontece antes do esperado. No entanto, esse problema pode acontecer em qualquer situação sexual, inclusive durante a masturbação.

Os médicos costumam classificar a ejaculação precoce em duas categorias: primária e secundária. A ejaculação precoce primária é caracterizada por problemas identificados durante toda a vida do paciente:

– dificuldade de segurar a ereção com menos de um minuto de penetração

– inabilidade de retardar a ereção durante o ato sexual

– estresse, frustração e o ato de evitar intimidade sexual com o parceiro

Já na ejaculação precoce secundária, o homem manifesta exatamente os mesmo sintomas da ejaculação primária, com a diferença de que os sintomas nem sempre fizeram parte de sua vida sexual. Homens que apresentam esse tipo de ejaculação precoce mantinham relações sexuais satisfatórias no passado e manifestaram o problema por algum motivo.

Diagnóstico

A conversa com o médico basta para ele realizar o diagnóstico, juntamente com o exame físico completo e uma conversa um pouco mais aprofundada sobre histórico de saúde.

Se o paciente apresentar ejaculação precoce e, ao mesmo tempo, problemas em manter a ereção, o médico poderá solicitar alguns exames de sangue para checar os níveis de testosterona na corrente sanguínea.

Tratamento/prevenção

Entre os tratamentos disponíveis, existem a terapia sexual, o uso de alguns medicamentos e psicoterapia. Para alguns casos, a combinação desses tratamentos pode funcionar melhor.

Terapia sexual: neste caso, algumas medidas simples bastam, como masturbar-se uma ou duas horas antes da relação sexual para retardar a ereção durante o ato. Evitar a penetração pode um tempo e a descoberta de novas fontes de prazer sexual também pode ser uma saída para tirar a pressão da penetração.

Técnica do aperto: a técnica do aperto consiste em estimular sexualmente o homem até que ele reconheça que está quase ejaculando. Nesse momento, aperta-se suavemente a parte final do pênis (onde a glande se encontra com o eixo) por vários segundos. Pare a estimulação sexual por cerca de 30 segundos e comece novamente. A pessoa ou o casal pode repetir esse padrão até que o homem queira ejacular. Na última vez, continue a estimulação até que o homem atinja finalmente o orgasmo.

Método “parar e começar”: o método “parar e começar” é praticamente idêntico à técnica do aperto. Esse método consiste em estimular sexualmente o homem até que ele sinta que está quase atingindo o orgasmo. Para estimulação por cerca de 30 segundos e comece novamente. Repita esse padrão até que o homem queira ejacular. Na última vez, continue a estimulação até que o homem atinja o orgasmo.

 

Uma comunicação aberta entre os parceiros pode ajudar a reduzir os riscos de ejaculação precoce, embora não exista uma forma exata para se prevenir o problema.