Colar masculino: como usar?

Conheça a história da peça e dicas para aprimorá-lo ao seu look

O colar masculino, que chegou aos poucos e até tardio aqui no Brasil, já virou um dos acessórios mais consagrados ao redor do mundo. Nada que não fosse esperado, em vista do poder que ele tem de não só incrementar o look, mas também realçar o estilo do homem, seja ele qual for.

Os homens que se adaptaram a essa tendência sabem como é fácil valorizar o visual com a possibilidade de várias composições, por exemplo, dar um “que” a mais na clássica camiseta branca com jeans, além de poder ser o diferencial que faltava aos visuais mais incrementados.

Motivos não faltam para você se encaixar nessa nova moda e começar a usá-los logo. Porém… Será que você saberia utilizar os colares de forma natural e ainda combinar com seu estilo?  O post de hoje vai te ajudar nisso, confere com a gente!

História

Muito antes de a moda existir e de, por grande tempo, este acessório ser visto apenas como utensílio feminino, os colares já eram usados como objetos importantes em diferentes culturas mundo a fora, pelos dois gêneros.

Existem registros do uso dele com o apetrecho desde as primeiras civilizações, e acredita-se que esse acessório tenha sido inventando antes mesmo da escrita. Feitos de matérias como sementes, pedras, dentes e até restos de animais, tinham sempre resquícios de elementos da natureza.

Para algumas civilizações ele tinha até o papel de outorgar status, mostrar a posição sócio-cultural de quem o usava, demonstrando seus títulos e feitos. Sua história mudou com a valorização de alguns metais – como o ouro e a prata – e assim foi incorporada a ideia de objeto de valor.

E como eles voltaram a fazer parte do mundo masculino?

Mesmo sendo restrito às mulheres, existia a exceção das peças com temas religiosos e familiares. Os crucifixos e escapulários, os quais continuam tendo finitos adeptos pelo mundo, sempre se fizeram presentes na história do homem. Naquela época, porém, eram utilizados por dentro das roupas, como se fosse um amuleto da sorte.

Com o início das grandes guerras, outra forma de colar de popularizou entre os homens: as chapas de identificação militar, ou melhor: Dog Tags. Contendo duas chapinhas de metal, foi criado principalmente para identificar os soldados mortos e feridos. Em caso de óbito, uma das plaquinhas fica no corpo do militar e a outra com o oficial superior. Em caso de ferimento, a plaquinha é utilizada para passar algumas informações sobre o soldado.

Então, mais uns anos a frente, por volta da década de 90, as famosas Dog Tags deixaram de ser utensílio de guerra e passaram a ser acessórios de moda, com a influência, principalmente, de rappers americanos.

DICAS PRIMORDIAS NA HORA DE USAR E ECOLHER O COLAR

#1 Equilíbrio

Ao comprar colares ou escolher entre os que você já tem, é primordial que você tenha atenção para ver se a corrente não é comprida demais, o modelo longo ou se há excesso de pingentes.

O colar é uma ótima opção para incrementar, porém, se não for pensado de maneira estratégica pode, em vez disso, sobrecarregar o visual e também brigar com as demais peças.

A palavra chave é sempre equilíbrio. Para isso devemos dosar tudo, desde a quantidade de acessórios até a composição deles: cores, modelos, estilos. Tudo tem que casar bem, por exemplo, usar mais de um colar e brincar com tamanho e estilos diferentes mostra a sua criatividade, mas tem que ter cautela pra não errar na escolha.

A dica de muitos estilistas e ditadores de moda é a clássica de que: menos é mais! Ao sair, se olhe no espelho e repense se não precisa remover alguma peça, se achar que sim, tire.

#2 Adapte ao seu estilo

Aqui pensamos na sintonia. Cada pessoa possui seu estilo próprio, por isso, ao sair para buscar um colar, pense nas suas roupas e composições de looks que você gosta de usar. Pesquise referências, mas sem fugir da sua ideia de visual já existente.

Por exemplo, se você estiver com um estilo mais praieiro, opte por cordas de couro finas com pingentes combinadas com pingentes com inspiração marítima. Já se você se considerar mais despojado e casual, colares grandes com pingentes mais sofisticados e detalhados casam bem.

#3 Combine com a camiseta

Camisetas básicas pedem acessórios diferentes das camisetas estampadas. Dessa forma, analise as diferentes formas e perceba que, ao usar camisetas simples, ele pode ser a peça de destaque, nas estampadas ele é um complemento do visual.

Com as básicas, você pode abusar do contraste das peças, cores e até usar vários modelos like a Johnny Depp. Com estampas, use a velha ideia de escala de destaque na qual, o colar converse com as imagens, desenhos ou formas geométricas da camiseta.

Para não errar: abuse de camisetas oversized branca, com gola mais redonda com jeans rasgado e um colar fino. É golpe certeiro.

#4 Considere a forma do seu pescoço

Às vezes nós homens, que não somos tão acostumados a ligar para tantos detalhes, acabamos comprando algo apena porque gostamos ao ver em outra pessoa, sem levar em consideração que talvez não fique legal no nosso formato de corpo.

Na escolha do colar, funciona basicamente assim:

Se você tem o pescoço mais largo, deve evitar usar modelos que sejam grossos ou tenham o comprimento muito curto, pois isso evidencia ainda mais a região.

Já quem tem o pescoço mais fino vai partir para o oposto, ou seja, criar volume nessa área com itens mais compridos e grossos.