Balanite: entenda como manter a saúde do seu amigo

Conheça mais sobre essa infecção que atormenta a vida de muitos homens

Você vê uma inflamação, vermelhidão, tem coceira, aumento da temperatura local, inchaço e mau cheiro? Cuidado, pode ser balanite.

O que é?

A balanite é uma inflamação na glande (cabeça do pênis) associada a uma infecção. Quando o prepúcio (pele que recobre a glande e que pode ser tracionada para expor a glande) também acometido, usa-se o termo Balanopostite. As balanites estão frequentemente associadas a agentes infecciosos transmitidos durante a relação sexual com o parceiro(a) infeccionado(a), mas também pode decorrer de fatores não-infecciosos (doenças de pele, traumas, alergias). O câncer pênis também pode se manifestar na forma de balanite.

Causas

As balanites podem resultar de fatores irritantes à glande, como o uso de certos sabonetes, pomadas, contato com alguns tipos de tecido, ou até mesmo de infecção decorrente da presença de microrganismos, bactérias, vírus e fungos. O acúmulo desses microrganismos juntamente com restos celulares provenientes da descamação, sob o prepúcio, forma o chamado esmegma, espécie de sebo que é decomposto por bactérias adquirindo mau cheiro. Este esmegma, em contato com a pele da glande, promove a inflamação por ser uma substância irritante.

Sintomas

Como citado, os principais sintomas são vermelhidão, aumento da temperatura local e dor, às vezes acompanhada de inchaço. Podem aparecer ulcerações (pequenas feridas) na superfície da glande. Nos casos associados a infecção, podem estar presentes pústulas (bolhas com pus) e os pacientes também referem coceira e presença de secreção mal-cheirosa.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito principalmente com base nos sintomas que o paciente refere ao aspecto da lesão visualizada no exame físico. Coleta-se uma amostra do líquido presente nas lesões para determinar se a inflamação é ou não de causa infecciosa. Pode realizar-se também uma biópsia (extração de pequena amostra de tecido da ferida) para descartar a possibilidade de outras doenças malignas tais como o câncer de pênis.

Tratamento

O tratamento das balanites depende da causa da inflamação. Balanites infecciosas são tratadas com o uso de antibióticos e antifúngicos, associados à orientação de higienização adequada. Nestes casos, é fundamental tratamento da parceira para erradicar eficientemente a doença.

Nos outros casos, deve-se evitar exposição aos agentes irritantes identificados como causadores do processo, como pomada e sabonetes. As balanites não infecciosas podem ser tratadas com uso de medicamentos antiinflamatórios.

Prevenção

Boa higiene, com retração do prepúcio (confira como fazer a higienização do pênis), circuncisão, tratamento da parceira e uso de preservativo nas relações sexuais são os melhores métodos de prevenção das balanites.

 

Antes de tudo, procure um médico de confiança. Ele trará todos os diagnósticos referentes ao seu quadro. Nunca se automedique sem prescrição médica. Todo cuidado é necessário. Sua saúde é importante.