Alimentos funcionais: peixe

Veja os benefícios do peixe, nono alimento funcional

Quando pensamos em uma alimentação equilibrada e um corpo saudável, não podemos deixar de lado as proteínas, que participam de todas as estruturas do corpo, além de contribuírem para a formação dos músculos e muitas funções do sistema nervoso e de defesa.

Assim como a cerne vermelha e a carne de frango, o peixe é uma poderosa fonte de proteína animal.

 

Benefícios do peixe

Fornece nutrientes vitais para o nosso corpo: peixes gordos estão entre os mais recomendados devido ao seu alto teor de nutrientes lipídicos, tais como a Vitamina D, um nutriente que atua como um hormônio esteróide, e do qual muitas pessoas não possuem o suficiente. Além disso, esses tipos de peixe são uma excelente fonte de ômega-3, um ácido graxo essencial para o funcionamento do corpo e do cérebro, e a prevenção de várias doenças.

Reduz o risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC): os cientistas acreditam que os peixes gordos são mais benéficos para o coração por causa de sua alta concentração de ômega-3 e, portanto, para reduzir o risco de doenças cardíacas em até 20%, recomenda-se comer duas ou três porções de peixe por semana.

Contêm nutrientes essenciais na fase de desenvolvimento: o ômega 3 é essencial para a fase de crescimento dos bebês, especialmente quando se trata do desenvolvimento dos olhos e cérebro e, por esta razão, os médicos recomendam que grávidas ou lactantes incorporem mais peixe à sua dieta.

Podem aumentar a massa cinzenta e proteger a deterioração do cérebro associado à idade: um estudo recente mostrou que as pessoas que comem peixe toda semana têm uma maior concentração de matéria cinzenta que aquelas que não o consomem.

Ajuda a prevenir e combater a depressão: vários estudos têm demonstrado que os ácidos graxos e ômega 3 ajudam a combater a depressão, promovem o equilíbrio hormonal e aumentam a eficácia de dos antidepressivos.

Reduz o risco de doenças auto-imunes, incluindo a diabetes do tipo I: doenças auto-imunes ocorrem quando o nosso sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis ​​por engano. Isto acontece com a diabetes do tipo I, uma doença na qual o nosso corpo ataca as células produtoras de insulina no pâncreas. Um estudo recente demonstrou que o consumo de óleo de peixe está associado a um risco reduzido do desenvolvimento de diabetes do tipo I em crianças, e de diabetes auto-imune em adultos.

Pode ajudar a prevenir a asma em crianças: felizmente, vários estudos têm relacionado o consumo regular de peixe com uma redução de 24% no risco de desenvolvimento de asma em crianças.

Ajuda a proteger a visão nos mais velhos: a degeneração macular é a principal causa de deficiência visual e cegueira em adultos mais velhos, mas há evidências de que o ômega 3 seja muito eficaz na prevenção dessa doença. De fato, um estudo recente ligou o consumo regular de peixe a uma redução de 42% no risco de desenvolvimento de degeneração macular em mulheres.

Além disso, outro estudo mostrou que o consumo de peixe pelo menos uma vez por semana pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de degeneração macular neovascular em até 53%.

Melhora a qualidade do sono: em um estudo conduzido durante 9 meses, com um grupo de 95 mulheres de meia-idade, os pesquisadores descobriram que consumir uma porção de salmão três vezes por semana pode resultar em uma melhoria significativa na qualidade do sono.

 

Como consumir o peixe

Sem muita gordura: preparar o peixe sem adicionar muita gordura é simples. O segredo para manter a carne do peixe úmida e saborosa reside em aproveitar os sucos e a gordura natural. A regra número um é preservar a umidade. Em termos práticos, isso significa evitar o fogo direto, especialmente quando preparar peixe magro. Você terá ótimos resultados com o linguado, o tamboril, o lúcio e o vermelho se prepará-los em calor úmido, incluindo cozinhar no vapor, com vegetais ou com um molho que mantenha o peixe úmido.

Cozinhar em calor seco: os métodos de cozinhar em calor seco, tais como assar e grelhar, funcionam bem para os peixes gordos.

Cozinhar: os peixes cozinham depressa. Isso significa que podem passar do ponto rapidamente. Você sabe que já está pronto quando ele está opaco e a carne começa a soltar lascas ao encostar o garfo. A regra prática para preparar o peixe é cozinhar 10 minutos para cada 2,5 cm de espessura, medido do lado mais grosso.

Marinar: marinar faz maravilhas pelo peixe. Assim como com o frango, pense na segurança. Nunca deixe o peixe marinando em temperatura ambiente, somente na geladeira. Nunca use a marinada como molho para o peixe pronto, a não ser que você a ferva antes.