Alimentos funcionais: frutas vermelhas e roxas

Veja os benefícios das frutas vermelhas e roxas, sétimo alimento funcional

Melancia, cereja, framboesa, morango, amora, entre outras frutas com a tonalidade avermelhada ou até mesmo roxa, estão no grupo das frutas vermelhas. Ricas em antioxidantes e Vitaminas B. As frutinhas retardam o envelhecimento e ajudam no funcionamento das células do nosso corpo.

Além disso, são ricas em fibras, o que auxiliam no funcionamento do intestino e na redução do colesterol. Outro benefício das frutas vermelhas é a alta quantidade de Vitamina C, fósforo, cálcio e Vitaminas do complexo B, substâncias amigas da saúde ocular.

 

Quais as melhores frutas vermelhas e roxas?

São chamadas “frutas vermelhas”, mas as cascas possuem colorações que vão desde o vermelho bem vivo até o arroxeado escuro.

Morango: tem propriedades diuréticas e é rico em Vitamina C, que ajuda na cicatrização de ferimentos. Fortalece a parede dos vasos sanguíneos melhorando a circulação e aumenta a absorção do ferro, combatendo a anemia. O morango é também uma fruta rica em antioxidantes, como antocianinas e o ácido elágico. Prefira sempre consumir os orgânicos, pois o morango é um dos oito alimentos mais contaminados por agrotóxicos.

Goji Berry: Riquíssima em Vitamina C e outras Vitaminas como B1, B2, B3 e B6. Possui grande teor de proteínas que ajudam a manter a estabilidade dos músculos, 19 aminoácidos, 21 minerais que protegem o corpo do câncer, alta concentração de carotenóides, bataína, que combate os radicais livres, e cyperone, que traz benefícios ao coração e ao sangue.

Mirtilo (Blueberry): a cor quase azulada indica que, além de antocianina, há um carotenóide chamado luteína, que também entre na briga contra os radicais livres. Se não encontrar a fruta in natura, aposte sem medo na congelada. O mirtilo é um dos alimentos que mais previnem o envelhecimento precoce.

Groselha: reúne potássio, fibras e Vitaminas A e C. Ao natural, é um tanto ácida. No Brasil costuma ser consumida em forma de doces e xarope, que acabam tendo pouca fruta e muito açúcar. A não ser que encontre alternativas de melhor qualidade, melhor maneirar nesta última.

Amora: ela esbanja Vitamina E e fibras. Carrega ácido elágico, que tem propriedade antimutagênica, ou seja, inibe o aparecimento de tumores.

Framboesa: também possui o bem-vindo ácido elágico. Se quiser provar sua geléia, facilmente encontrada nas gôndolas dos supermercados, prefira aquelas que listam a fruta com o primeiro de seus ingredientes (indica concentração maior do produto).

Cranberry: ganhou fama devido à capacidade de evitar a infecção urinária – a substância responsável pelo feito é a proantocianidina. Há chás e sucos com a fruta. A polpa congelada é outra boa pedida.

Outras: alguns outros exemplos de frutas vermelhas são: açaí, acerola, ameixa, cereja, jabuticaba, melancia, uva e maçã.

 

Como consumir as frutas vermelhas e roxas

O ideal é consumir frutas vermelhas e roxas de 3 a 4 vezes por semana. Se possível também é bom diversificar essas frutas para se ter acesso a todos os nutrientes e aos benefícios de todas elas.

Há outras maneiras de aproveitar seus nutrientes, como sucos, desde que natural e consumido logo após o preparo, e geleias.

E para todos os dias, basta higienizar as frutas vermelhas e roxas na quantidade exata para a semana e utilizar sacos plásticos próprios para o armazenamento de alimentos. Assim no café da manhã ou lanche, fica mais prático utilizar a fruta gelada ou congelada para bater no liquidificador com água ou leite.